Vinho tinto Villard Syrah Expresión Reserve
Chile
Vale de Casablanca, Vale do Maipo, Chile

Vinho tinto Villard Syrah Expresión Reserve

Coloração violácea concentrada e luminosa. Muito clássico no nariz com amora e frutas vermelhas maduras, defumado, pimenta preta moída e terra. Encorpado, com taninos um pouco firmes. A acidez eleva o conjunto a um patamar ainda mais distinto.

Harmonizações:
Estufado de javali ao vinho tinto e zimbro, sobre polenta mole; Magret de pato servido com compota de cebolas;
Classifique esse vinho
compre agora e garanta o melhor preço
DE R$149,00
R$139,90

Em até 3x de R$46,63 s/ juros

Coloração violácea concentrada e luminosa. Muito clássico no nariz com amora e frutas vermelhas maduras, defumado, pimenta preta moída e terra. Encorpado, com taninos um pouco firmes. A acidez eleva o conjunto a um patamar ainda mais distinto.
Mais informações
País: Chile
Produtor:
Uva: Syrah
Tipo:
Volume da Garrafa:
Temperatura de serviço:
Safra: 2015
Vinho tinto Villard Syrah Expresión Reserve

Vinhedos plantados em arbustos, alta densidade; o mosto é dividido em lotes e vinificado em pequenos tanques. Maceração pré-fermentativa de 8 dias a 8°C; Fermentação durando 10 dias em cubas de inox, temperatura a 28-30°C; Fermentação pós fermentativa por mais 7 dias antes de ser filtrado. Amadurecimento parcial em barricas; Estabilização e engarrafamento.

Estufado de javali ao vinho tinto e zimbro, sobre polenta mole; Magret de pato servido com compota de cebolas;

Thierry Villard nasceu na França, mas viveu a maior parte de sua juventude na Suíça e algum tempo na Inglaterra, na faculdade. Ele saiu de casa aos 19 anos para descobrir o mundo. Aos 20 anos ele estava na Austrália e depois de um ano decidiu ir para a América do Sul. Ele chegou ao Panamá de barco, onde ele desceu, fazendo o seu caminho todo até o Chile, onde conheceu sua esposa. Eles se casaram em Santiago depois de 7 meses, e então a cerimônia foi repetida em Paris, onde sua aventura começaria em 1972. Eles compraram um Fusca e seguiram para Cabul, no Afeganistão, mas tiveram que vender o carro, já que a guerra entre o Paquistão e a Índia havia fechado a fronteira. Então, eles continuaram sua jornada através de transportes públicos pela Ásia para Cingapura, onde embarcaram em um navio para Perth na Austrália e de lá para Melbourne, onde se encontraram com o cunhado de Thierry, um enólogo qualificado, que havia imigrado para a Austrália, no ano anterior. Logo em 1973, Thierry começou a trabalhar na Orlando Wines, uma das maiores vinícolas australianas, para desenvolver a recém-criada divisão de vinhos e destilados importados em Melbourne. Adquiriu experiência em vendas no On trade, Off trade, Grandes Clientes, Wholesalers, depois transferiu-se como gerente de vendas para a Morris Wines, uma vinícola boutique, subsidiária do grupo, antes de retornar a Orlando um ano depois como gerente de vendas da Victoria. Em 1980, foi transferido para a sede em Adelaide como gerente de produto no departamento de marketing, responsável pela divisão de importações, pela Premium Wines e pela vinícola boutique Morris Wines. Em 1981, continuou exercendo as mesmas funções mais o Marketing Manager for Exports, e criação do departamento de exportação e primeiros clientes. Em 1984 Concentrou o trabalho nas exportações deixando as responsabilidades para o mercado nacional. Como gerente de exportação, ele estabelece uma rede de importadores, agentes e distribuidores na Ásia, Europa e EUA, seguidos do lançamento no Reino Unido da primeira campanha de mídia fora da Austrália para o Jacob's Creek. Durante os anos 70 e 80, a família fez várias viagens ao Chile para férias, onde Thierry se encontrou novamente com seus muitos conhecidos e amigos na indústria do vinho. Com o passar do tempo, ele sentiu mais e mais que deveria começar sua própria empresa de vinhos e que deveria estar no Chile. Em 1988, ele estava convencido de que o País estava em um caminho econômico sólido e que a indústria do vinho chileno se tornaria a “nova descoberta” nos mercados europeus. Então, no final de 1988, ele renunciou e deixou a Austrália para iniciar um novo empreendimento no Chile. No início de 1989, ele chega ao Chile com sua esposa e dois filhos, nascidos e criados na Austrália, e deixando para trás um modo de vida estabelecido. Ele primeiro trabalha como consultor de exportação para várias vinícolas no Chile, como CyT e Emiliana, entre outras. Os objetivos eram abrir novos mercados, criar marcas mundiais e tentar elevar a imagem do Chile como produtor de vinhos finos. Naquele ano ele também cria Villard Fine Wines, para produzir Premium Wines. Paralelamente, ele também representa os barris de Nadalié da França. O principal objetivo de Thierry era produzir os melhores Whites e Pinot Noir, que eram praticamente inexistentes no Chile naquela época. O Vale de Casablanca tinha todos os atributos climáticos para produzir as variedades de uva que lhe interessavam. Houve o desafio adicional de ser um pouco pioneiro em um território virgem, como no início dos anos 90, o Vale de Casablanca era totalmente desconhecido e apenas alguns produtores e vinícolas estavam mostrando interesse em seu potencial.