Vinho tinto Crasto Douro 2016
Portugal
Douro, Portugal

Vinho tinto Crasto Douro 2016

Um dos vinhos portugueses mais afamados na atualidade, tido como uma excelente pedida, o Crasto é fiel ao estilo intenso dos vinhos tintos do Douro. Produzido de maneira cuidadosa pela bela Quinta do Crasto, exibe fruta vermelha muito madura, corpo médio, taninos redondos e ótima estrutura. Muito agradável, é daqueles vinhos nos quais se pode investir sem medo e ainda figura entre as boas compras no elenco dos vinhos portugueses

Harmonizações:
Carnes vermelhas e de aves, massas com molhos condimentados e queijos maduros.
Classifique esse vinho
compre agora e garanta o melhor preço
DE R$119,00
R$112,90

Em até 3x de R$37,63 s/ juros

Um dos vinhos portugueses mais afamados na atualidade, tido como uma excelente pedida, o Crasto é fiel ao estilo intenso dos vinhos tintos do Douro. Produzido de maneira cuidadosa pela bela Quinta do Crasto, exibe fruta vermelha muito madura, corpo médio, taninos redondos e ótima estrutura. Muito agradável, é daqueles vinhos nos quais se pode investir sem medo e ainda figura entre as boas compras no elenco dos vinhos portugueses
Mais informações
País: Portugal
Região:
Tipo:
Teor Alcoólico:
Volume da Garrafa:
Temperatura de serviço:
Vinho tinto Crasto Douro 2016

As uvas são rigorosamente selecionadas logo que chegam à adega, após a colheita. Os melhores cachos seguem para o desengace e esmagamento e o mosto é transportado para cubas de aço inox, nas quais ocorre a fermentação alcoólica com temperatura controlada, durante um período de cinco a sete dias. No final, 5% do vinho matura em barricas de carvalho francês. Os outros 95% permanecem nas cubas de inox. É feito o corte final e, então, o engarrafamento.

Carnes vermelhas e de aves, massas com molhos condimentados e queijos maduros.

Situada na margem direita do deslumbrante Rio Douro, a Quinta do Crasto é uma das mais belas e elogiadas vinícolas de Portugal na atualidade. Há mais de um século nas mãos da mesma família, a Quinta do Crasto ganhou fama internacional a partir de 1981, quando Leonor Roquette, que herdou a propriedade do pai, Fernando Moreira d’Almeida, assumiu a gestão ao lado do marido Jorge Roquette e dos filhos Miguel e Tomás. Iniciou-se, imediatamente, um movimento de modernização que envolveu a adega e a introdução de novas vinhas, sem descuidar dos vinhedos antigos, alguns centenários e que hoje dão origem aos vinhos topo de gama desta casa. Apesar de estar historicamente ligada à produção de vinho do Porto, a Quinta do Crasto se tornou uma grande referência no mundo do vinho graças aos seus exuberantes tintos, de altíssimo nível de qualidade. Com vista para o Rio Douro, a propriedade possui uma área de 135 hectares, sendo 74 hectares ocupados por vinhas com idades entre 8 e 95 anos e preenchidas por dezenas de castas portuguesas. O portfólio da Quinta do Crasto contempla, hoje, além de uma coleção de vinhos tintos, vinhos brancos muito castiços, rosé e também vinhos do Porto de categorias especiais. Em relação ao nome Crasto, vale esclarecer que deriva do latim “castrum” e significa “forte romano”.