Vinho tinto Colomé Lote Especial Altura Máxima Pinot Noir
Argentina
Salta, Argentina

Vinho tinto Colomé Lote Especial Altura Máxima Pinot Noir

Cor rubi brilhante. Nariz de cerejas e framboesas, também flores, especiarias doces como a canela e sutil vegetal da Pinot. Na boca é puro e elegante, corpo mediano e frescor típico dos vinhos de altitude. Excelente estrutura tânica que lhe garantirá bons anos de evolução. Ótima persistência.

Harmonizações:
Aves nobres (codorna, perdiz, pato) em preparações agridoces. Ravioli de cogumelos ao ragù de pato. Queijos de média cura.
Classifique esse vinho
compre agora e garanta o melhor preço
R$759,00

Em até 3x de R$253,00 s/ juros

Cor rubi brilhante. Nariz de cerejas e framboesas, também flores, especiarias doces como a canela e sutil vegetal da Pinot. Na boca é puro e elegante, corpo mediano e frescor típico dos vinhos de altitude. Excelente estrutura tânica que lhe garantirá bons anos de evolução. Ótima persistência.
Mais informações
País: Argentina
Região:
Produtor:
Uva: Pinot Noir
Teor Alcoólico:
Volume da Garrafa:
Temperatura de serviço:
Safra: 2016
Vinho tinto Colomé Lote Especial Altura Máxima Pinot Noir

Vindima manual em pequenas caixas de 12 quilos. Rendimentos baixos. 15% dos engaços mantidos para a fermentação. Vinificação tradicional em tanques de inox com pigeáges e maceração de 15 dias. Amadurecimento.

Aves nobres (codorna, perdiz, pato) em preparações agridoces. Ravioli de cogumelos ao ragù de pato. Queijos de média cura.

A Bodega Colomé foi fundada em 1831, sob a responsabilidade do governador espanhol de Salta, Nicolás Severo de Isasmendi e Echalar. No ano de 1854, sua filha Ascensión, que se casou com José Benjamín Dávalos, introduziu as videiras francesas Malbec e Cabernet Sauvignon em Colomé na pré-filoxera. Três vinhas, que datam daquela época, ainda produzem uvas que fazem parte do vinho Colomé Reserva. Colomé pertencia às famílias Isasmendi-Dávalos por 170 anos. Donald Hess adquiriu em 2001. Donald e Úrsula Hess visitaram os Vales Calchaquíes pela primeira vez em 1998. Eles procuravam o terroir perfeito e o clima ideal para fazer vinhos verdadeiramente únicos na Argentina. O que encontraram foi muito mais do que isso, encontraram uma segunda casa. A majestade e a beleza natural de Colomé inspiraram e rejuvenesceram. Em 2001 eles compraram a Colomé e desde então deram origem à recente história da Colomé, a mais rica em conquistas e desenvolvimentos tanto para a vinícola quanto para a cidade de Colomé. Sua visão inclui responsabilidade social em relação à cidade de Colomé. A família Hess ajudou a construir o centro comunitário, a igreja, a melhoria da escola e a moradia da comunidade. Hoje, Colomé fornece trabalho e renda para a maioria das pessoas que moram lá. Atualmente, a Bodega Colomé é referência em vinhos de qualidade e de alta qualidade na Argentina; Ela colhe e produz mais de meio milhão de litros e exporta seus vinhos para mais de 25 países ao redor do mundo.