Vinho Guidalberto
Itália
Toscana, Itália

Vinho Guidalberto

O vinho tinto Guidalberto é um supertoscano com pedigree, já que é assinado pela Tenuta San Guido, a mesma vinícola que produz o mítico Sassicaia. O corte inusitado de Cabernet Sauvignon e Merlot, elaborado por um dos mais talentosos enólogos italianos, Sebastiano Rosa, impressiona pela delicadeza e equilíbrio. Nos aromas, destacam-se frutas vermelhas, como cereja e morango, combinadas com nuances tostadas e minerais. Na boca é macio e saboroso, com um final longo e cheio de frescor.

Harmonizações:
Carnes vermelhas, Queijos
pontuacao
WE
92
Classifique esse vinho
compre agora e garanta o melhor preço
R$1.312,00

Em até 3x de R$437,33 s/ juros

O vinho tinto Guidalberto é um supertoscano com pedigree, já que é assinado pela Tenuta San Guido, a mesma vinícola que produz o mítico Sassicaia. O corte inusitado de Cabernet Sauvignon e Merlot, elaborado por um dos mais talentosos enólogos italianos, Sebastiano Rosa, impressiona pela delicadeza e equilíbrio. Nos aromas, destacam-se frutas vermelhas, como cereja e morango, combinadas com nuances tostadas e minerais. Na boca é macio e saboroso, com um final longo e cheio de frescor.
Mais informações
País: Itália
Região:
Teor Alcoólico:
Volume da Garrafa:
Temperatura de serviço:
Safra: 2018
pontuacao
WE
92
Vinho Guidalberto

Após a colheita manual, a fermentação das uvas acontece em tanques de aço inoxidável com temperatura controlada e maceração durante nove a catorze dias. A fermentação malolática também é realizada nas cubas de aço inoxidável. Em seguida, o vinho é transferido para barricas de carvalho francês e americano, nas quais matura durante quinze meses, antes de ser engarrafado.

Carnes vermelhas, Queijos

Nos anos 1920, quando era estudante em Pisa, Mario Incisa della Rocchetta já sonhava em criar um grande vinho ao estilo dos grandes Bordeaux. Ao assumir a Tenuta San Guido, propriedade da família de sua mulher em Bolgheri, na Toscana, ele decidiu fazer um experimento e plantou a uva francesa Cabernet Sauvignon no solo pedregoso que o remetia à região de Graves, em Bordeaux. Começou, então, a produzir um vinho tinto como o maior capricho, mas apenas para consumo da família. Quem diria que esse despretensioso ensaio daria origem ao que é, atualmente, um dos vinhos tintos mais desejados em todo o mundo – o supertoscano Sassicaia. De 1948 a 1967, o Sassicaia foi servido somente na Tenuta San Guido, pois não era comercializado. A cada ano, algumas caixas eram deixadas descansando na adega da vinícola e Mario notava que o vinho, com o tempo de envelhecimento, ganhava complexidade de elegância. Até que seu primo Piero Antinori, ao experimentar o vinho, incentivou-o a comercializá-lo. A safra 1968 foi a primeira a ser lançada no mercado sob o rótulo Sassicaia, que significa “solo cheio de pedras”, como acontece em Bolgheri e em Bordeaux. Representou um divisor de águas na viticultura italiana, que permitia apenas o uso de uvas autóctones naquela época, e marcou o início da era dos supertoscanos. É um vinho muito elogiado pela crítica internacional, merecendo sempre altas notas. Outros dois vinhos tintos, também cortes com Cabernet Sauvignon, foram criados pela Tenuta San Guido ao longo dos anos: o Guidalberto (Cabernet Sauvignon e Merlot) e o Le Difese (Cabernet Sauvignon e Sangiovese), compondo um portfólio de tintos supertoscanos de alto nível de acordo com as respectivas faixas de preço.